Fatos espaciais que considerem fatores individuais dos próprios astronautas


Pedro Arezes, investigador integrado do Centro ALGORITMI, membro do grupo IEM (Industrial Engineering and Management) e responsável  pelo laboratório EHF (Ergonomics and Human Factors Group) defende, no seu novo estudo, fatos que considerem fatores individuais dos próprios astronautas para assim evitar lesões.

Trata-se de um trabalho em co-autoria com cientistas do MIT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts e da Universidade de Colorado (EUA), publicado na revista científica Aerospace Medicine and Human Performance.

O enfoque deste estudo, recai sobre as “lesões”, mais propriamente formas de as evitar, uma vez que a maioria dos astronautas sofre deste problema.
Segundo Pedro Arezes, os novos modelos de fatos espaciais estão a ser ‘elaborados’ com a utilização de ‘neoprene’, uma material fino que permite uma maior aproximação ao corpo do astrounauta, possibilitando um maior conforto e sensorização do tecido que realizará a leitura de vários parâmetros fisiológicos do utilizador. Pretende-se que na viagem espacial a Marte, que a NASA tem apontada para a próxima década, as lesões advindas de cerca de 15 meses de viagem possam ser minimizadas.

O estabelecimento de uma ponte entre métodos de risco e de prevenção que possam ser utilizados no desenvolvimento dos novos fatos, é o grande objetivo, refere o investigador. Um processo que demorará entre cinco a sete anos e com um orçamento previsto praticamente 1 milhão de euros.

Share this on: